Qual é o meu perfil de investidor e como aplicá-lo?

Compreender seu comportamento no mercado financeiro é fundamental para pensar nos próximos passos

Uma frase é bastante repetida nas faculdades de Economia: “Não existe almoço grátis”. A máxima do mundo dos investimentos quer dizer que o lucro de determinadas medidas é diretamente proporcional ao risco que o indivíduo assume ao tomar tais decisões. Neste contexto, avaliamos os perfis mais comuns de investidores.

Um investidor conservador é aquele que não gosta de grandes apostas. Suas jogadas no mercado financeiro costumam se apoiar sobre investimentos de renda fixa, com pouca margem de lucratividade. Da mesma forma, não assume grandes riscos que possam colocar em risco seu patrimônio econômico.

Um investidor dinâmico ou agressivo é aquele que se dispõe a pagar o preço de investir em fundos de renda variável, onde o lucro pode ser alto em jogadas acertadas, mas erros podem representar uma larga porcentagem de prejuízo. São raros os casos de investidores que, mesmo agressivos, não mantenham pelo menos uma parcela de suas reservas em fundos de renda fixa, para garantir sua solidez financeira a médio prazo.

Há ainda o investidor que mescla características das duas classificações anteriores: o investidor moderado. Este tipo de ator do mercado financeiro se aventura pelos fundos de renda variável, mas não abre mão de ter pelo menos um terço, em média, de seu patrimônio bem ancorado em investimentos de renda fixa. Aceita correr riscos médios para eventuais lucros mais altos.

Estas classificações acima são bem definidas, mas não são fixas para os indivíduos, e sim para os comportamentos. Os investidores podem adotar diversas condutas ao longo de sua carreira, ou até mesmo mesclar características dos mais diversos contextos econômicos. Para isso, são taxadas pelo menos mais três classificações.

Além de um único perfil de investidor

Principal protegido: um investidor típico de bolsa de valores, mas que não aceita medidas de risco. Os investidores de Fundo de Investimento no Exterior, por sua vez, são aqueles que investem seu patrimônio em títulos da dívida externa brasileira ou até mesmo ativos de outros países. Por fim, o investidor chamado de FIF Cambial 60 é o que baseia suas economias em títulos do câmbio do Governo Federal. Quer saber mais? Entre em contato com a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *